Bruno Mars mergulha no funk dos anos 60 com ’24K Magic’

cover1200x1200

Quatro anos após o arrasa quarteirões Unorthodox Jukebox e um ano após o mega hit Uptown Funk, Bruno Mars está de volta com o seu terceiro álbum de estúdio, 24K Magic. O cantor norte americano lançou o disco no início do mês passado e é dele a resenha de hoje.

Sempre econômico, Bruno aposta em nove, somente NOVE faixas para compor 24K Magic. Com um R&B mais clássico, todo trabalhado na sonoridade Motown Records, Bruno mostra que 9 músicas é o suficiente para fazer um bom álbum.

Foto: Facebook do artista.
Foto: Facebook do artista.

1. 24K Magica faixa título e primeiro single do álbum abre os trabalhos com excelência. 24K Magic é divertida, pura soul music e bem gangsta. Apesar do som ser semelhante a Uptown Funk24K Magic não tem o dedo de Mark Ronson. Shampoo Press & Curl – trio composto por Bruno Mars, Philip Lawrence e Ari Levine – são os produtores da música. Eles produzem todas as faixas desse álbum e ainda são responsáveis por All I Ask da Adele, presente no disco 25 da cantora, sob a tutela de The Smeezingtons.

2. Chunkyo garanhão de 1,65 m tá que tá hein. Bruno fala de curtir a noite com uma “gostosa” de peitões e que chegam na balada de shortinho, haha. Apesar da letra mais “pesada”, a música tem ritmo calmo e bem sexy. Há vocais femininos em trechos da canção que deixam a música “redondinha”.

3. Permem Perm, Bruno encarna o James Brown que existe nele. A canção parece ter sido feita no início dos anos 60, no auge do funk. Quando escutei Perm só consegui imaginar Bruno cantando Get up (get on up), Get up (get on up). Stay on the scene (get on up). Like a sex machine (get on up)… 

4. That’s What I Likepara That’s What I Like, Bruno Mars bebe da água do R&B dos anos 1990. Temos um som bem melódico e rítmico que lembra músicas do R. Kelly. Estalos de dedos dão o tom para balançarmos a cabeça à lá Fat Family.

5. Versace on the Floor:  a melhor música do álbum na minha opinião, Versace on the Floor é uma mistura de Michael Jackson com Mariah Carey e Boyz II Men. É puro amor, alma e entrega vocal de Bruno Mars na canção, que tem cara de Alpha FM. O R&B dos anos 1990 volta com força aqui com uma letra impecável. É de longe uma das melhores músicas da carreira de Bruno Mars.

Foto: Billboard.
Foto: Billboard.

6. Straight Up & Downincrível como Bruno mergulhou na onda R&B dos anos 60 e não saiu mais. Straight Up & Down é só mais uma prova da sonoridade saudosista do disco. É uma faixa deliciosa de se ouvir.

7. Calling All My Loveliesessa é aquela música pra você que é cheio dos contatinhos, haha. A música é um recadinho para aquele seu crush que fica fazendo doce, enquanto você tenta de tudo pra fazer o negócio dar certo. Aí você desiste e aciona seus contatinhos reservas. Gosto bastante da letra da música, embora a sonoridade seja meio cansativa.

I’m calling all my lovelies (calling all my lovelies). ‘Cause I can’t get a hold of you, since you ain’t thinking of me (since you ain’t thinking of me). Oh, look what you making me do.

8. Finesseuma das músicas mais animadas do disco, Finesse novamente lembra algumas músicas do Rei do Pop e de sua irmã, Janet Jackson. Se fosse para mencionar uma canção que se assemelha à Finesse, curiosamente eu diria Screamcanção de Michael com Janet, já que as batidas de Finesse são parecidas com a clássica Scream.

9. Too Good to Say Goodbyea última faixa do disco é uma das com o maior potencial de virar hit. Too Good to Say Goodbye é a típica canção feita para bombar nas rádios e tocar nas novelas brasileiras. Apesar de ainda ter resquícios do R&B mais clássico, essa é a única música do 24K Magic que se encaixaria nos demais álbuns de Bruno, por exemplo, já que sua sonoridade é um pouco mais anos 2000.

Foto: Facebook do artista.
Foto: Facebook do artista.

24K Magic traz um Bruno Mars mais “experimental”, o que pode não agradar a todos os ouvidos ou fãs que esperavam por algo mais pop como o Doo-Wops & Hooligans ou com o R&B um pouco mais “moderno” do Unorthodox Jukebox.

Para 24K Magic, Bruno Mars buscou a sonoridade e a influência de seus ídolos: Michael Jackson, James Brown, Mariah Carey, Lionel Richie, entre outros. O álbum é um verdadeiro baú do funk dos anos 60 e 70 com o R&B dos anos 90, tudo isso mesclado a uma temática gangsta ostentação. Bruno Mars prova mais uma vez que, ao lado de Justin Timberlake, continuará o legado de Michael Jackson, escrevendo e produzindo excelentes canções de R&B e Pop para as próximas gerações.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s