Top 5 – Melhores Shows de 2016

Juro que quando parei para ver quais shows iam entrar neste post, consegui contar bem mais do que 5! Não sei o que acontece, mas não consigo mais ficar sem ir em algum show. Virou um tipo de vício bom porque, afinal de contas, minhas experiências são refletidas nos posts do #Conheça e, hoje, posso dividir um pouco delas aqui no Especial 2016 do Cultura e Ponto Final.

Como no Top 5 Discos , não vou numerá-los como ordem de importância. A sequência dos shows segue uma ordem cronológica. Então, vamos para “os melhores momentos da minha vidinha no ano de 2016”, resumindo, Top 5 – Melhores Shows de 2016!?

FRESNO – 31/01/16 – Carioca Club – SP

12644741_867550646677062_7230249866137955221_n
Foto: Caroline Sampaio Rossetti

Sabe quando eu digo que só consigo saber que uma banda é boa de verdade indo em um show? Pois é, foi o caso do Fresno.

Óbvio que já conhecia a banda, mas gostava apenas de algumas músicas pontuais, principalmente do disco Revanche (2010) e Infinito (2012). Aí que estava meu problema com Fresno, eu conhecia os singles que tocavam nas rádios e na MTV. O material mais pesado e alternativo fui ver só nesse show de janeiro, que meu irmão ganhou o ingresso na 89FM – A Rádio Rock, e que vinha mais o Scalene no pacote.

E olha, caí de cara com a qualidade da apresentação dos caras, que fazia parte da turnê do DVD Fresno 15 Anos Ao Vivo. Rolaram as músicas-chiclete que fizeram o Fresno estourar lá em 2006, sim, mas elas eram sobrepostas por mais de 80% do show com faixas fortes que delineavam uma atmosfera incrível no Carioca Club. Mesmo com a galera cantando em peso, dava para escutar cada instrumento nitidamente (palmas pra equipe técnica).

Só sei que saí de lá com olhar de respeito e admiração com relação ao Fresno, além de ter mais do que comprovado minha teoria.

CAPITAL INICIAL – 28/02/16 – Concha Acústica FITO – Osasco

Assisti meu primeiro show do Capital Inicial em fevereiro no Osasco Rock Fest II. Com apoio da rádio Mix FM, o evento ainda reunia algumas bandas da região, o cantor Ivo Mozart e Nx Zero, que tocaram antes do Capital com o sol ardendo no rosto.

Da primeira até a última palhetada do show em formato acústico, caiu uma chuva torrencial na Concha Acústica da FITO. Parecia que não havia outra música para terminar as quase 2 horas de show que não fosse “Primeiros Erros”.

O show foi tão f@#$%&** que o próprio Dinho Ouro Preto não parava de postar fotos e agradecer ao público.

12798870_1021252024610656_7425346271271647170_n
Foto: Facebook Dinho Ouro Preto – “a longa estrada do rock brasileiro não cansa de me surpreender. ontem tocamos em Osasco pra uma multidão ensandecida; essa galera aí na foto. caiu uma chuva torrencial da primeira nota á última. desabou sobre nós um dilúvio bíblico ininterrupto durante as quase duas horas em q estivemos no palco. acho que a cidade deve ter ficado alagada; mas, mesmo assim, ninguém saiu do lugar. muito pelo contrário, cantaram e pularam como se o mundo fosse acabar. eu fiquei comovido, emocionado e tô escrevendo esse pequeno texto pra agradecer. muito obrigado Osasco, vcs são do caralho! boas vibes!

VESPAS MANDARINAS – 31/07/16 – Sesc Consolação – SP

15590467_1203613403041842_455554316658362244_n
Foto: Facebook Vespas Mandarinas

Se não me engano, esse foi meu 8º show do Vespas Mandarinas. OK que da formação original só estavam Chuck Hipolitho (voz/guitarra) e Thadeu Meneghini (baixo/voz), mas Nevilton (guitarra) e Thiago Guerra (bateria – Fresno) completaram a banda com maestria.

Entoando os “hinos” do Vespas, como “Santa Sampa”, o público esqueceu das cadeiras do auditório do Sesc Consolação (oh lugar lindo, como todas unidades do Sesc) logo nas primeiras músicas e chegou ao seu ápice com a invasão de palco em “Um Homem Sem Qualidades”, que deixou até os integrantes da banda com um brilho nostálgico nos olhos.

Ao final, o Vespas voltou ao palco com um bis duplo, com “Daqui Pro Futuro” e dois covers voz e violão, além de “Não Sei o que Fazer Comigo” e “Questão de Ordem” com a banda inteira. Confira setlist completo aqui.

DEAD FISH – 26/08/16 – Audio Club – SP

dead
Fotos: Caroline Sampaio Rossetti

Bom, o que posso falar? Fui na gravação do DVD de 25 anos do maior representante do hardcore nacional. Meu segundo show do Dead Fish foi também meu segundo do Bullet Bane, que abriu o evento junto Zander (outra banda que estou devendo no #Conheça), e a discotecagem de Luka Salomão e Thiago DJ (89FM – A Rádio Rock).

Quando o Dead Fish entrou no palco, a Audio quase veio abaixo. Que show lindo! Que jogo de luz! Que instrumental perfeito! Que público muito louco no mosh! Que rodinhas incessantes!

Só sei que você só vai entender o que foi esse show quando sair o DVD (e eu não vejo a hora de isso acontecer pra ver se consigo me achar no meio da loucura que é o show do Dead Fish).

FESTA AVALANCHE – 29 e 30/10/16 – Clash Club – SP

avalanche
Fotos: Caroline Sampaio Rossetti

Se dá pra eleger “o melhor fim de semana da minha vida”, acho que foi esse. Sério, sem exageros.

Primeiro que comprei os ingressos da Avalanche na ação que as bandas fizeram na região da Rua Augusta, e nesse dia, já troquei uma ideia com os caras do Supercombo e Medulla.

Segundo que curti 5 shows de bandas nacionais que amo de paixão: Medulla, Scalene, Ego Kill Talent, Far From Alaska e Supercombo.

Terceiro que entrei no camarim no domingo! (Tenho que agradecer a Emmily pro resto da vida!) Consegui entrevistar a Carol Navarro (Supercombo), a Emmily Barreto e a Cris Botarelli (Far From Alaska) pro meu TCC e do Thiago (confira o programa de rádio completo aqui), conversei com o Toledo (Supercombo), Tomás Bertoni e Lucas Furtado (Scalene), cumprimentei mais uma par de gente que estava por lá, e ainda assisti ao show do Ego Kill Talent do lado do palco. (Não tirei foto de tudo/todos pra não pagar de tiete, né) Claro que depois de tudo isso, cheguei tão pilhada em casa que não conseguia dormir.

Ao que tudo indica, o projeto Gravando Bandas registrou a Avalanche (veja as fotos aqui) e promete lançar DVD do evento. Aí, vou poder reviver esse fim de semana (pelo menos, parte dele) e você vai ter a oportunidade de entender porque eu defendo tanto essa nova safra do rock nacional.

———-

É isso meus queridos leitores, que venha 2017 com muito mais shows e, com certeza, posts aqui no Cultura.

Curta, compartilhe, comente quais foram os shows que marcaram 2016!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s