Liga da Justiça

Com a morte do Superman (Henry Cavill) em Batman vs Superman: A Origem da Justiça (2016), Bruce Wayne (Ben Affleck) recupera sua fé na humanidade e junto com Diana Prince (Gal Gadot), precisa recrutar meta-humanos para lutar contra um inimigo poderoso recém-despertado. É sob essa perspectiva que nasce o filme a Liga da Justiça.

Liga da Justiça dá continuidade no universo de heróis da DC Comics, que começou em O Homem de Aço (2013) e engrenou de fato com Mulher-Maravilha (2017). Dirigido por Zack Snyder, o filme tem um roteiro muito conciso. Em poucos minutos, somos apresentados a todos os novos personagens e suas peculiaridades. Não demora também para conhecermos o vilão, o Lobo da Estepe (Ciarán Hinds) e seus parademônios.

Nessa imersão de personagens, somos levados à Themyscira e Atlântida, onde o Lobo da Estepe busca pelas caixas maternas – instrumentos poderosos, capazes de destruir planetas. Aqui conseguimos vislumbrar o dom de Zack Snyder para sequências de ação, que são muito bem dirigidas e coreografadas. Novamente, as amazonas dão um show à parte na luta contra o vilão do filme. Temos também as primeiras impressões de Atlântida e sequências de luta realizadas debaixo d’água – aqui somos apresentados à Mera (Amber Heard) – que são muito boas e deixam aquela vontade assistir ao filme solo do Aquaman (Jason Momoa), que sai no ano que vem. A fotografia é igualmente muito bem aplicada em todas as sequências do longa, assim como a trilha sonora que trabalha bem em cada cena.

Para reunir a equipe, Bruce e Diana encontram certa resistência por parte do Ciborgue (Ray Fisher) – que ainda está descobrindo a dimensão de seus poderes – e do Aquaman, claramente o bad boy do grupo e que está pouco se lixando se o morcego está montando os “super amigos”. Já Barry Allen, o Flash (Ezra Miller) é o que aceita o convite de prontidão (como visto nos trailers). Flash, obviamente é a principal fonte de humor do filme. Por falar em humor, ele aparece bastante e nos momentos certos. O equilíbrio entre humor e “hora de falar sério” estão bem marcados e distribuídos por todo o filme e aquele tom obscuro que vimos em Batman vs Superman desaparece.

A construção de cada personagem é o principal trunfo de Liga da Justiça. Mesmo juntos, a equipe tem desentendimentos, brigas e diferenças a acertar. Com uma ameaça maior, eles se veem obrigados a resolverem seus problemas e traumas particulares para salvar o mundo. Nesse momento, podemos afirmar que o Lobo da Estepe está ali somente para isso, reunir a Liga. Ele não chega a ser um péssimo vilão, já que dá muito trabalho aos cinco heróis, porém fica em segundo plano com o desenrolar da história de cada herói e da equipe em si. Nesse aspecto, ele cumpre muito bem o seu papel dentro do desenvolvimento do longa. E o mais legal de tudo isso, é que todos os personagens funcionam muito bem.

Liga da Justiça não é o filme grandioso e cheio de pompa e circunstância que muitos fãs imaginavam – digo isto, afinal, estamos falando de uma equipe cheia de deuses e seres extraordinários, sempre esperamos por mais ações a um nível jamais visto. Apesar disso, é o filme certo na hora certa. Simples e preciso, Liga faz o que o espectador quer: entretenimento puro. Divertido, leve e ao mesmo tempo perfeito para cair no gosto do público, Liga da Justiça é sem dúvida um filme que te deixa sedento para ver mais daquilo. Zack Snyder e toda a equipe de roteiro, incluindo Joss Whedon (diretor de Os Vingadores e que dirigiu partes do filme) merecem um prêmio por conseguirem inserirem três novos personagens (Aquaman, Flash e Ciborgue) de maneira clara, objetiva e sem furos.

Temos Superman? É muito óbvio que sim. Não darei mais detalhes para não estragar a sua experiência ao ver o filme, mas adianto que ele está foda. Lois Lane (Amy Adams) é importante no filme? Pra caralho. Aliás, é uma das personagens, fora da equipe, que mais gostei. Temos cenas pós créditos? Sim, duas. Uma delas é fundamental para o futuro do universo DC nos cinemas. No mais, Liga da Justiça é o filme que os fãs da DC e do gênero “super heróis” merecem e tanto ansiavam. É lindo e emocionante ver heróis de infância “ganhando vida” nas telonas de forma digna, finalmente. As atualizações de FILMÃO DA PORRA foram atualizadas com sucesso!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s